Desafiando conceitos

Poker é um jogo de habilidades, sendo considerado um esporte da mente. Não é a habilidade, ou a sua falta, que caracteriza não ser um jogo de azar, mas simplesmente porque o jogador interfere no resultado das jogadas .Quanto maior é a habilidade do jogador, maior é a chance de vitória, porém a sorte ou azar tambem se fazem presentes devido ao fator aleatório no embaralhamento e distribuição das cartas.

Por mais que o jogador tenha habilidade para induzir seu adversário a desistir das apostas, ou aposte com a melhor chance estimada em determinada street, o resultado será dependente da ação dos outros jogadores, ou, quando houver o show down, da melhor combinação entre as cartas comunitárias e as cartas dos jogadores, que já estava determinada quando as cartas foram embaralhadas e distribuídas.

O fator habilidade no jogo de poker é imprescindível. Sem ela qualquer jogador pode até vencer uma jogada, mas raramente vai vencer um torneio, porém a sorte ou azar no resultado final das jogadas é o fator determinante. O importante é fazer a jogada correta para cada situação.

É preciso entender que a variância, resultados não esperados no curto prazo, fazem parte do cotidiano do jogo. O importante é fazer a jogada adequada conforme seu conhecimento do estilo de jogo e os padrões dos oponentes. A habilidade se sobrepõe à variância no longo prazo, pois os jogadores habilidosos vencem mais vezes, mas a habilidade não supera a sorte em momento algum.

O que se pode dizer é que em uma grande amostra, na média , o jogador muito habilidoso terá melhores resultados que o jogador habilidoso, que terá melhores resultados que o jogador pouco habilidoso, que terá melhores resultados que o jogador sem habilidades, mas que esse último pode eliminar um jogador muito habilidoso em um torneio específico.

Habilidade é fazer a jogada correta para cada situação. Não considere jogada boa “a longo prazo”. Pode até existir jogadas com chances matemáticas idênticas, mas cada jogada é única. Os estilos dos adversários são diferentes, os stacks são diferentes, a situação no torneio é diferente, a importância do torneio é diferente...Não considere somente o fator Pot Odds para dar um call , mas sempre em conjunto com outros fatores, principalmente analisando qual será sua situação em fichas se ganhar ou perder a mão.

Não se iluda com estigmas. Não existe jogador tight agressive .O que distingue os jogadores é sua habilidade e a aversão ou propensão ao risco. O jogador que joga várias mãos ou é um jogador pouco habilidoso de atitude passiva ou que corre mais riscos, com atitudes ativas, blefando e aumentando as apostas. O que joga menos mãos também são ou jogadores pouco habilidosos, ou são conservadores que correm menos riscos, selecionando melhor suas mãos iniciais.

Resumindo, no jogo de poker...

1) Habilidade é essencial, a sorte é determinante;

2) Resultados inesperados são cotidianos;

3) A habilidade compensa a variância no longo prazo;

4) A habilidade não compensa a sorte em nenhum momento e em prazo nenhum;

5) Não existe jogada boa a longo prazo, mas sim, jogada correta para cada situação;

6) O que distingue os jogadores, é a habilidade e a propensão a risco;

7) O jogador tight não pode ser considerado tight agressive. Agressivo é quem corre mais riscos. Apostar com boas mãos não o torna agressivo.


Poker: esporte, amizades e trofeuzinhos.

Poker: esporte, amizades e trofeuzinhos.
Poker: esporte, amizades e trofeuzinhos.

quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Vascão DF BSOP SP Bi campeonato bate na trave

O Vascão é uma figura muito querida no circuito do BSOP. Ele já havia declarado que era um jogador recreativo, conquistando a simpatia e a torcida da maior parte dos jogadores, mas sem dúvida seu jogo melhorou bastante, sendo que cravou uma etapa no ano passado e poderia ser o único jogador com duas conquistas no ME , mas ficou no HU nessa etapa de SP 01/2018. Jogamos na mesma mesa no dia 2 , onde relembramos uma jogada no passado onde na bolha de uma etapa ele abriu a mão e eu falei "quer brincar de ser bolha?" e fui all in com AA. Depois de muita entrevista ele acabou dando call e caiu na bolha com KK. Nessa última etapa eu até brinquei com ele na mesa, já que somos amigos, e passei um blefe na falinha. Parabéns pelo novo ótimo resultado. Abraços.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Matemática no poker não é tão exata

Os estudos estatísticos no poker, servem para estimar as chances de vitória nas diversas situações. Porém muitos jogadores utilizam alguns cálculos como exatos sem considerar alguns detalhes. 1) O cálculo estatístico mais tradicional é a chance de vitória de cartas conhecidas contra outras aleatórias. É preciso fazer algumas considerações.1.1) Quando há mais de dois jogadores para ver o flop, o cálculo diminue. 1.2) Essa estatística é válida para mãos que serão jogadas até o River. Então não podemos levar em conta a estatística de determinadas cartas para apenas ver o flop. Às vezes é melhor ter suiteds conectadas que jogam melhor pós flop, embora a estatistica aponte que um A8o tenha mais chances no pré flop. 1.3) É preciso ajustar a chance de vitória , que pode ser maior ou menor conforme o range das cartas do oponente considerando o seu perfil de jogo, e as apostas PF. 2) O cálculo para se acertar um estimado número de outs. 2.1) É preciso considerar que o oponente pode ter alguns desses outs ou ter um mesmo Draw melhor. 2.2) O cálculo tradicional de acertar um draw a partir do flop, multiplicando o número de outs por 4 somando mais 2. Esse número 2 pode ser maior se o número de outs for abaixo de 8 é menor se for acima.2.3) Muitos jogadores esquecem que aquela chance é para se ver o Turn e River. Se a jogada já estiver no Turn, a chance diminui consideravelmente. 3) As chances de ganhar a mão com um semi-blefe contando com o fold equity, ou seja, o vilão foldar para sua aposta. 3.1) É preciso considerar se o vilão é um calling station, que não folda na maioria das vezes. 3.2) Se o vilão é um bom jogador que pode ler a jogada e continuar na mão e floatar no River se não baterem os outs de um Draw. 3.3) Se o vilão for agressivo e aumentar a aposta invertendo a vantagem do fold equity. 4) O termo variância tem um sentido diferente no Poker. Na estatística variãncia é o desvio padrão ao quadrado. Desvio padrão é a média dos desvios em relação à média de uma amostra. No Poker quer dizer resultados diferentes do esperado, quer seja a chance de perder com uma mão favorita ou de resultados negativos em sequência. Embora resultados positivos acima do esperado sejam também englobados nesse conceito, quando se fala em variância o sentido é só se referir a perdas. 5) No Poker se fala muito em "resultado no longo prazo", que se refere a ser lucrativo apesar de perdas no curto prazo. A estatística considera amostras maiores e não prazos. O prazo é muito relativo, pois um jogador que joga muitos torneios pode ter uma amostra maior que um jogador qua joga há muito mais tempo.Na verdade os resultados para os jogadores mais habilidosos, tendem a ser positivos para uma amostra maior e não no longo prazo.Poderia me expender para várias outras situações mas considero essas as mais relevantes.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

CCTH PLO uma Ramirada me tirou da FT

Torneio CCTH PLO dia 2. A noite já começou conturbada. Ao me dirigir ao clube me envolvi num acidente com uma moto. Depois de prestar socorro à vítima, ocorrência, seguro, etc...cheguei atrasado com meu stack pingando. Consegui ganhar algumas mãos e fiquei acima da média. Estamos na bolha da FT, dois jogadores em all in eu tenho flush draw nutz no flop sem dobra, mas como não tinha mais takedown com meu all in, foldei a mão que seria vencedora. Tilt crescendo. Máo seguinte, no flop sem dobra, tenho top pair, flush draw nutz e broca para o nutz, pensei, agora tenho takedown, apostei o pote mas o vilão voltou e fiquei comitado, call. O flop tinha 4d 6s 8d, vilão 689T, dois pares, eu 3d 7s 8h Ad. Fiquei torcendo para bater o flush, ou a broca do 5 para straight, ou dois pares com A, pois com o 7 o vilão seguiria. Turn 9h, River Th. Vilão soltou um grito de vitória bem no meu ouvido. Eu já estava com a mente a toda agitada e resolvi sair da mesa sem reagir e fui embora de imediato, com todos os envolvidos já comemorando e preocupados com a formação da FT. No caminho de casa, relembrando a mão, me toquei que tinha feito um straight 6789T com 78 na mão e o vilão dois pares 9 e T. Moral da história, o grito da "Ramiragem" do vilão, enganou todo mundo e eu fui eliminado da FT com a mão vencedora.

domingo, 16 de julho de 2017

Fábio Sousa no ME da WSOP

Mais um grande resultado do jogador, que cravou uma etapa do BSOP esse ano, terminando na 96a posição, conseguindo seu terceiro resultado entre os 100 primeiros no ME da WSOP, que tem a participação de milhares de jogadores. Fábio Souza faz parte da equipe carioca que vai participar do torneio entre federações. Parabéns Fabinho, você merece.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Poker no RJ fichas falsas no CCTH

Estava jogando a segunda etapa do CCTH, campeonato carioca de texas holdem, e quando restavam 24 jogadores, me envolvi numa jogada onde o oponente fez uma aposta utilizando uma ficha no valor de 25.000, que tinha uma tonalidade mais acentuada e parecia nova. Examinando a ficha ela tinha o timbre das letras diferentes. A organização foi chamada e o torneio foi paralisado. Se constatou que haviam 10 fichas de 25.000 falsificadas, espalhadas nos stacks dos jogadores nas 3 mesas restantes. Foram retiradas todas as fichas de 25.000 e o torneio prosseguiu normalmente. Somando as fichas ainda em jogo e comparando com as entradas haviam uma diferença de 250.000 fichas. Existem várias câmeras instaladas no clube onde o torneio estava sendo realizado, o River Texas, cujas gravações podem apontar o(s) malandro (s), se é que estavam ligados e funcionando. Esse acontecimento chocou toda a comunidade de jogadores do Rio de Janeiro. Ainda não há nenhuma comunicação oficial da Federação carioca. Esperamos que o caso seja apurado com rigor, e que os responsáveis sejam punidos e expulsos do nosso meio.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Poker na novela da Globo.

A comunidade está em polvorosa diante a abordagem do jogo de Poker pela rede Globo, onde uma personagem de uma novela é viciada no jogo de POKER tradicional de 5 cartas. Entendo como uma oportunidade de divulgar na mídia a modalidade de Poker de torneios. Não podemos simplesmente dizer que não existem pessoas que se viciam em alguma coisa. Se houvesse um personagem que é viciado em bebidas daria no mesmo. Se fosse feita uma pesquisa nacional, acredito que a opinião geral ainda acredita que o Poker tem uma imagem ligado ao vicio, que é justamente essa abordagem que a novela pretende explorar. Ainda sofremos muito preconceito com o nosso joguinho. Ouço histórias de jovens jogadores que tem receio de se apresentar às famílias de suas namoradas como jogador profissional. Comigo aconteceu algo engraçado. A minha filha tinha um namorado que ficou com medo de me conhecer por eu ser um jogador de Poker. Sei que há muito interesse em jogo, pois está para ser regulamentado os jogos de azar no Brasil, mas também há certa hipocrisia dos dirigentes do Poker, que admitem a frequência de viciados compulsivos em seus clubes nos cash games de Omaha e texas holden . Mas acredito que seja uma oportunidade de expandirmos ainda mais a quantidade de jogadores, aproveitando o espaço que se abre para o esclarecimento junto à grande mídia. Mas não argumentem que cash game é esporte.

domingo, 26 de março de 2017

BSOP, disputa do campeão do ranking

As etapas do BSOP, principalmente a de São Paulo, oferecem uma extensa grade de torneios de várias modalidades do Poker. O ambiente é super saudável e é uma oportunidade de diversão e de forrar uma graninha. A maioria dos jogadores são recreativos, que sustentam as grandes premiações, mas o curioso são os jogadores mais agressivos. Em um torneio de NLH numa etapa de SP, tinha um jogador na minha esquerda que não me deixava jogar, pois ia all in em todas as mãos e ficava vigiando um outro jogador na mesa ao lado. Acabei sabendo que eram dois amigos, que entraram simultaneamente no torneio fazendo uma aposta, em que teriam que ir 20 vezes all in PF em sequência até que um dos dois fosse eliminado. Tem também os agressivos estrelados, que estão disputando o ranking e dão vários tiros, às vezes até jogando torneios simultâneos. Eu gosto de jogar os torneios mais técnicos como o 8 Game por exemplo. Nessa segunda etapa de São Paulo, estava jogando o PLO dealers choice, quando cruzei novamente com o maniaco da aposta dos all ins. Em uma mão, estava nutz no turn com uma sequência, com o bordo mostrando 6789, quando um jogador apostou o pote, e eu só paguei pois o maniaco estava na mão com mais fichas. Não deu outra, ele foi all in e recebeu call do primeiro apostador e eu tive que foldar a mão para não ter o risco da eliminação. Ele mostrou dois pares e acabou "fullando". Dessa eu consegui desviar das balas. No final do período de inscrições, entrou um jogador que havia ganho o ME da etapa anterior, e que estava "naquela" de pontuar no ranking jogando outro torneio simultaneamente, que foi all in na primeira mão, multiplicou seu stack e voltou para o outro torneio. Mais tarde ele voltou jogando agressivamente eliminado vários jogadores. Numa mão de PLO H/L, onde a técnica indica que sua mão deve concorrer pela mão maior e a menor simultaneamente, ele estava no botão e apostou o pote e eu no BB tendo AKQ3 "suiteds" apostei novamente o pote, me sobrando pouco para traz. Sabia que a mão dele era fraca e que o melhor seria até ele ter dado o fold PF, mas sabendo que estava estrelado, estranhamente só deu call, me deixando poucas fichas para traz. Eu já fui dando all in "no que virar" e falei para ele pagar para irmos logo para o show down, mas ele apenas disse: "se virar um 4 eu pago". Não deu outra, virou um 4 no flop e ele pagou mostrando o par de 4 sem ter nenhuma carta alta , nem A ou 2 como recomenda a técnica, me eliminando na bolha da mesa final. Mas vamos para a próxima, quem não sabe brincar não desce pro play. Postei mais para mostrar que além da técnica , habilidade, sorte e baralhadas, a disputa do ranking de campeão do ano no BSOP, acabou transformando os torneios numa verdadeira gincana.